Stress.silencioso.artigo.opinião.saúde.gauchazh.ursula.dutra_.christini.reconduza.inteligencia.emocional..jpg

Você é daquelas pessoas que vai guardando o stress para si, deixando-o no modo silencioso? Muitas vezes para não incomodar seu familiar ou amigo, prefere nem comentar alguma situação complicada. E aí, repleto de preocupações, às vezes, exageradamente aumentadas, em razão de pensamentos repetitivos, tem a sensação de que a situação está só se agravando? Cuidado, talvez você possa prejudicar sua saúde.

Nossa saúde mental e emocional estão diretamente interligadas com nossa saúde física. Isso é fato. Preocupações excessivas precisam ser bem gerenciadas. Conversar, seja com um amigo, familiar, ou profissional, é fundamental para a busca de soluções. No mínimo, para o alívio das tensões.
Carregar o peso dos problemas que temos para resolver nem sempre é fácil. E o modo como “carregamos” pode fazer toda a diferença. E quando além dos nossos desafios, carregamos o peso dos desafios dos outros? Sim, vivemos em sociedade e isso invariavelmente poderá ocorrer.
Mas então, qual será a solução? Caberá a cada um descobrir. E para isso, será necessário acreditar na solução. Acreditar que tudo será resolvido da melhor forma para então começarmos a caminhar na melhor direção. Porque uma coisa é certa, quando ficamos preocupados, paralisados pelo medo, apenas nos sobrecarregamos e não conseguimos sequer vislumbrar ideias criativas. Sequer encontramos qualquer possibilidade de cura ou resolução dos conflitos, e aí o stress toma conta.
Por outro lado, quando escolhemos uma pessoa para compartilhar nossas angústias, temos a sensação de que o peso se dissolve. Claro, busque alguém que não vá colocá-lo mais para baixo, ainda, fazendo aumentar suas preocupações. Sim, talvez, essa outra pessoa não vislumbre nenhuma solução num primeiro momento, mas no mínimo, poderá lhe apoiar. E talvez, você, compartilhando, poderá se sentir melhor e mais apto para encontrar uma solução. Por isso, evite o stress silencioso e não deixe que ele abale sua saúde.
É certo que repetir seu problema para todas as pessoas que você encontrar também não irá ajudar a solucioná-lo. Mas guardá-lo só para si, poderá ser prejudicial. Encontre sua maneira de buscar o equilíbrio para a solução de seus problemas, e quando estiver muito difícil de segurar, lembre-se de entregar para a vida. Muitas vezes, a própria vida se encarrega de encontrar a solução.

Artigo publicado em GaúchaZH – Opinião – Úrsula Petrilli Dutra Christini, em 05/12/2018

https://gauchazh.clicrbs.com.br/opiniao/noticia/2018/12/os-perigos-do-estresse-silencioso-no-fim-de-ano-cjpb0vtzx0iy901pib8dfnmko.html