ZEROHORA.PEÇAAJUDA.URSULADUTRACHRISTINI.RECONDUZA.ARTIGO.OPINIAO.ZH

Peça Ajuda!

 

Vivemos em uma sociedade em que somos educados a não pedir ajuda, a mostrar que está tudo bem, que nossa vida é perfeita, especialmente, em épocas de redes sociais.

Desde cedo, somos cobrados em sermos bons na escola e, muitas vezes, com o medo de ficarmos “de castigo”, não pedimos apoio nem para fazermos os temas de casa. Na adolescência, milhares de jovens correm o risco de ficarem grávidas e não pedem auxílio aos pais, pelo medo da punição.

Os adultos, por sua vez, repletos de problemas, sequer cogitam em buscar assistência de algum psicólogo ou psiquiatra, com a ideia de que esses profissionais são apenas para os “loucos”, e que seu caso não é tão grave assim. Não procuram nem os amigos ou familiares. E quantos problemas de saúde poderiam ser evitados se o paciente tivesse realizado uma consulta médica logo no início dos sintomas?

Há também aquele grupo de pessoas que nega receber qualquer ajuda, ou seja, mesmo quando lhe é oferecida não deixa que lhe amparem.

Muitas vezes, até em situações simples, negamos assistência porque podemos aparentar não sermos bons o suficiente, o que é uma verdadeira ilusão, pois não nos tornamos fracos ou submissos em receber algum tipo de amparo.

Nunca esqueço quando um colega novo de trabalho, formado em Ciências Jurídicas e Sociais, me perguntou como se fazia para “abrir o rodapé” em um documento do Word, no computador. Ele deixou o orgulho de lado, e com toda humildade perguntou algo muito básico para o operador do Direito, em que os textos são a ferramenta de trabalho.

Tenho escutado, inclusive, que até para Deus é importante orarmos, pois muitas vezes, Ele só consegue nos amparar quando é lhe pedida ajuda, pois respeita nosso Livre Arbítrio.

Enfim, seja para o profissional da saúde, para o colega, familiar, vizinho, para o desconhecido na rua, ou para Deus, vamos deixar o orgulho de lado e pedir auxílio. Somos seres interdependentes e sempre precisaremos de apoio, isso é fato. E, caso você esteja muito bem e não precise de nada disso, então, olhe para o lado e ofereça ajuda.

 

Úrsula Petrilli Dutra Christini,

servidora pública e blogueira,

ursula@reconduza.com

 

Artigo publicado no jornal Zero Hora – Opinião em 17-08-2018