Cada vez mais as pessoas estão conectadas virtualmente. Pela internet, por redes sociais, aplicativos. É claro que, como tudo, há os aspectos positivos e negativos. E aí entra a questão de se encontrar o ponto de equilíbrio. Tudo o que for demais não fará bem. Sabemos que até a própria água em excesso pode fazer mal.

Muitas pessoas, eu me incluo também, acabam se mantendo conectadas com o celular. Volta e meia é uma mensagem, um “barulhinho” avisando que entrou alguma notificação ou algo do tipo. Eu procuro encontrar o ponto de equilíbrio, porque senão me pego checando as mensagens a toda hora. Colocar o celular ou os avisos de mensagens no silencioso é uma ótima opção, e quando for algo urgente a pessoa que ligue para avisar. Enfim, o interessante é que cada um encontre o seu diferente ponto de equilíbrio.

Mas dessa vez, o paralelo que trago é a possibilidade de nos manter conectados com a nossa sabedoria interna ou superior. Checar suas mensagens de tempos em tempos ao longo do dia, assim como fizemos no mundo virtual. Essa conexão, na real, é o que os seres mais evoluídos têm. Grandes sábios estão permanentemente conectados com sua intuição. E isso pode vir de uma inteligência natural em se ter um contato mais próximo com essa parte, ou então, requer apenas prática. Com a prática, podemos desenvolver o contato com nossa sabedoria interna, encontrando o centro do nosso bem-estar.

O desenvolvimento interior nada mais é do que uma boa relação consigo próprio. E quanto mais tratarmos bem a nós mesmos, quanto mais empatia interna tivermos, mais saberemos escutar nossa sabedoria superior ou nossa intuição.

E se ao longo do dia nos recordarmos que possuímos essa sabedoria, e nos voltarmos para dentro, por um instante, poderemos fortalecer essa relação. É isso que todos nós precisamos.

Se tivéssemos um aplicativo que fizesse isso, seria incrível. Imagino algo que enviasse uma notificação: “Você foi ‘cutucado’ por sua inteligência superior”; ou “sua sabedoria interna que ser sua amiga”; “Sua paciência convidou você para um evento”; “Sua intuição curtiu essa pessoa”.

Ainda não existe tal dispositivo no mundo físico ou digital, mas se conseguirmos nos observar mais, nossa inteligência superior estará ali enviando notificações.

Notificações rápidas já são enviadas pela intuição e muitas vezes sequer são checadas. Não as seguimos.

E pasmem, por mais que existisse esse dispositivo, esse aplicativo, ainda assim dependeria de nós seguirmos ou não a intuição. Seguir ou não a nossa sabedoria interna. Seguir ou não a nossa melhor versão. Depende de nós, desenvolvermos esse respeito próprio, para, então, conseguirmos ser tolerantes e pacientes, com os outros. Ter compaixão, empatia, conseguirmos nos doar, sermos pessoas melhores, mais sábias, mais humanas, mais conectadas interna e externamente, no mundo virtual e no real. Depende, apenas, de nós.